domingo, 11 de julho de 2010

--

As palavras brotam nas mãos
Tocando o externo, germinam


A caneta,
tão precisa quanto o pincel daquele que pinta
tudo que vê e tudo que sente,
é instrumento de poder transcendente
Guia os pensamentos soltos até o papel
Poda um, dá polimento a outro
Permite-os contornar novas formas


Caindo sobre as linhas vazias
como tinta que escorre na tela
as palavras acomodam-se uma ao lado da outra
manchando o imaculado branco com mensagem e imagem
perspectiva, movimento e particularidade


Quando colhidos,
seus frutos se transformam em semente para novas mentes
e mãos:
descoberta, questionamento e 
reflexão.



--

8 comentários:

d. carollina disse...

Muito lindo o seu poema.

Escrever é mágico deste jeito. (:
Parabéns pelo BLOG :* Vou seguir.

http://randooomthings.blogspot.com/

Dielma disse...

Oi, Rebeca! Como vc, adoro escrever, acho q é uma questão de necessidade. Adorei seu poema, seu blog é muito bom. Parabéns.

Alexandre Terra disse...

otimo texto! gostei mt do seu jeito de escrever

wanessa disse...

Ótimo seu blog!! Parabéns!!!

Vc escreve muito bem...adorei

Passsa por lá..

adrianasoares15.blogspot.com/

bjuxxx

Tassyane disse...

Lindo poema e verdadeiro, o que importa! Beijos

Ariela disse...

Muito verdadeiro. Escreve muito bem!
Parabéns (:

cronicasdemicroondas disse...

Realmente gostei de seu poema, a literatura em si é algo de tão especial que não tem explicação, seja lendo ou escrevendo!

Traduzir sentimentos em palavras, acredito que seja o maior dom que há.

Parabéns!

Porei seu endereço em minhas recomendações!
Beijos

Juliana Porto disse...

Palavras quando bem escritas ou bem intecionadas, podem mudar um mundo. Dentro ou fora.

Gostei daqui, beijos alvinegra!