quinta-feira, 4 de agosto de 2011



E quem te disse, menina, que o amor é doce?
Pois não engana-te mais: o amor é ácido. Ácido forte.
Corrói tua pele, te deixa em carne viva, exposta, aberta em feridas.
Frágil e vulnerável.
Dissolve montanhas, distâncias, paredes de mármore e coração de gelo.
Sufoca, entrangula, mata.
Não tem sutilezas e nem permissões.
Atreve-se a queimar teu corpo sem o menor sinal de pudor ou culpa.
Não, em nada o amor lembra a leveza do mel
Mas os duros ferrões das abelhas!
E eis porque no rótulo de seu frasco deve pulsar a reomendação:
Perigo - Efeitos Colaterais. Dependendo da dose, pode ser fatal.

7 comentários:

Cabeça Feminina disse...

adoreeei o blog, muitoo bomm!!!
e estou seguindo!!


qnd tiver um tempinho, se quiser conhecer o meu serah mt bm vinda!


grande beijo


http://cabecafeminina.blogspot.com/

Marthin Thiago disse...

Parabens Rebeca, adorei o blog! Estou te seguindo, vou deixar meu link para voce me seguir tambem. Beleza! =)

http://infostartnet.blogspot.com/

Sandro Ataliba disse...

Mas vale cada risco.

Thaís Alves disse...

O amor é agridoce. E como todo tempero, tbm é necessário na vida. Belo texto. Beijos

May disse...

Como a menina de cima falou, o amor é agridoce. Embora tentamos ter forças para evita-lo, acaba nos flchando também!
bjs ♥

http://kokoronoyakusoku.blogspot.com/

Iza C. disse...

Me apaixonei pelo poema, é lindo! Os últimos versos dizem tudo: "E eis porque no rótulo de teu frasco deve pulsar a recomendação: Perigo - Efeitos Colaterais. Dependendo da dose, pode ser fatal". Amor em grande dose é mesmo fatal, e eu sou a prova viva disso.

É de quemo poema, flor?
XOXO, Izabela Cristina.
Blog Diamonds

Aninha Barreto disse...

concordo totalmente!!!! vc escreve muito bem!!!